Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Distrito 9

O blog é sobre música, mas não dá pra ficar de olhos fechados: Distrito 9 será o filme do ano!

Alienígenas que vivem como refugiados no Planeta Terra, numa favela da África do Sul, como ninguém pensou nisso antes? Algum paralelo com a nossa realidade aqui no Brasil?

Procurem na net, o filme já está disponível para download. A Folha de São Paulo deu uma bela reportagem sobre o filme no caderno Ilustrada desse Domingo, eu fiquei sabendo pelo blog do André Forastieri: http://andreforastieri.uol.com.br/?s=distrito+9

Leiam, assitam, reflitam, comentem....

Ie ie ie, Argh!

Não sei explicar em que momento da carreira Arnaldo Antunes virou um chato, mas acho que esse “vírus” da MPB tem uma certa influência.

Meu, o cara tá muito chato!! Já ouviram a nova música dele? Fujam!

Aos 49 anos, Arnaldo deveria continuar aonde parou ao sair dos Titãs, parado!

Pirateando a Coluna “Escuta Aqui” de Álvaro Pereira Júnior:

“ Como o vírus influenza, a música de Arnaldo Antunes muda pouco e sempre causa o mal”

Precisa dizer mais?

VMB - Não perca seu tempo


No dia 1 de Outubro, a MTV Brasil realiza a sua já tradicional festa de premiação dos artistas musicais do ano.
Mas, quem ainda se dá o trabalho de assistir a tais premiações? (além de familiares e amigos dos próprios artistas?).
Em 1995, quando a Marisa Orth apresentou o primeiro VMB, em clima, literalmente circense, a MTV Brasil vivia seu momento de expansão e a festa foi muito bem vinda e aceita.
Nos anos que se passaram muita coisa mudou, o canal cresceu, virou as costas para seu produto básico, encarou uma verdadeira mutação na programação, voltou atrás e hoje, tenta mesclar sua grade de videoclipes com os programas de variedades.
No meio disso tudo as festas de premiações continuaram a acontecer, sempre mais pomposas e nem sempre com o mesmo bom gosto.
Os apresentadores sempre foram o ponto alto do show, a própria Marisa, Pedro Cardoso, Mion, Cazé, Daniela Cicarelli sempre deram um UP numa cerimônia sem sal e sem pé nem cabeça.....
Por que, pense bem, qual a razão de eu saber quem é a banda do ano? O clipe do ano? Desde sempre esses adjetivos são muito superficiais. O que é bom pra você pode não ser bom pra mim e por aí vai. Fora que onde ficam os sambistas, os sertanejos, as duplas românticas, os funkeiros... Por que sinceramente todos eles fazem parte da nossa cena musical e sabemos muito bem que são simplesmente excluídos da premiação.
Sei lá, já fiquei muitos anos acordado pra ver em primeira mão os prêmios entregues a artistas como Sepultura, Raimundos, Titãs, Paralamas.... Mas hoje, pelo menos pra mim, a magia acabou, a luz queimou... E isso vale para o VMA também...
Ah!
Falando em VMA’s lembrei do Movie Awards uma premiação que vale a pena assistir pois, primeiro: Não se leva a sério e segundo: Tá sempre se reiventando...
Falow!

sábado, 12 de setembro de 2009

Provas

A primeira semana de provas já foi....

Ainda falta uma.....

Depois de seis anos parado, isso tá parecendo uma turnê de dois anos para mim....

Semana que vem eu volto....

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Oasis acabando, de novo...

Li na net que o Noel Gallagher estava pulando fora do Oasis depois de mais uma briga com o irmão Liam. Pela net também fiquei sabendo que dessa vez era o fim mesmo, que estava saindo da banda, pois não suportava mais as neuras e chiliques do irmão mais novo.

Dias depois li que os outros integrantes da banda também sairiam se Noel não ficasse, pois somente Noel conseguia “domar” o Gallagher mais rebelde.

Liam é o culpado disso tudo?

Com certeza não.

A fama do Oasis sempre foi calcada na relação tumultuada dos dois irmãos, nas brigas em público, nas arruaças pré, durante e pós shows. No descumprimento de contratos e demais responsabilidades.

Logo no início, quando o primeiro disco da banda “Definitely Maybe” estourou, o baterista daquela época Tony Mccarroll foi expurgado e meteu um processo contra os irmãos Gallagher pedindo milhões de indenização.

Após o lançamento de “(What’s the Story) Morning Glory?” a banda se lançou numa empreitada rumo a conquista dos EUA, maior Mercado consumidor de música ocidental do mundo. Até hoje não sabemos o fim dessa história pois no meio da turnê os caras quebraram o pau e simplesmente cancelaram todos os shows que ainda tinham no país, queimando o filme da banda para todo o sempre na terra do tio Sam.

Quando Liam chamou Noel para fazer parte do Oasis, ele aceitou com uma condição, mandar na banda e escrever todas as músicas gravadas pela banda. A estratégia mostrou-se vencedora, a banda decolou, explodiu para o mundo e até hoje ainda leva milhares de pessoas para assistir um espetáculo do grupo (brigas à parte os caras mandam muito bem em cima de um palco).

Com o passar do tempo os outros integrantes da banda foram se enchendo e saindo fora, Bonehead, Paul McCuinan (essa foi a até então maior crise da banda, que se viu sem dois integrantes até então indispensáveis) e outros entrando, Andy Bell e Gem Archer (mostrando muita personalidade e competência). A banda se solidificou novamente e parecia ter entrado numa engrenagem bem lubrificada de shows, bons discos e paz.

Até a notícia de Noel saindo da banda.

Não acredito em nada que envolva crise, briga e afins no Oasis, tudo pode ser marketing, ou simplesmente birrinha do mimado do Liam ou o Noel finalmente se viu na possibilidade clara de lançar seu tão aguardado álbum solo porque, artista por artista, ainda fico com Noel.

É esperar pra ver.....

Mando Diao

O que será que tem na Suécia para que o país revele tantas bandas legais??

Estou aqui sintonizado na MTV e vendo uma banda de nome Mando Diao.

Para vocês terem uma idéia o som dos caras é uma mistura de Beatles com The Hives, muito
dançante, poderoso, bem feito e contagiante.

Acessem e confiram

http://www.mandodiao.com/site/main.php

Querem conhecer mais bandas da Suécia?

http://pt.wikipedia.org/wiki/Categoria:Bandas_da_Su%C3%A9cia

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

The Watchmen Soundtrack

Seguindo a linha trilha sonora lembrei-me do filme Watchmen e de sua trilha recheada de classic rock. Lá você encontra Bob Dylan com “The Time They Are a Changin”, Janis Joplin “Me and Bob McGee”, Jmi Hendrix “All Along The Watchtower” e muitos outros medalhões da música americana. Temos ainda a grata surpresa do My Chemical Romance com uma releitura irreconhecível do clássico de Mr. Dylan “Desolation Row”.

Praticamente todas as músicas são partes essenciais da trama e estão intimamente relacionadas sejam nos quadros ou nos diálogos dos personagens.

Bem mais clássica e comportada do que a “soundtrack” de “Jennifer’s...” “The Wacthmen Soundtrack” cumpre o que promete aos fãs, diversão sem perder a identidade.

Jennifer's Body - Garota Infernal

Alguém assistiu a Juno? A comédia com roteiro pra lá de bem bolado que conta a história da menina mal humorada e deliciosamente encantadora (vivida por Ellen Page) que engravida do melhor amigo e lida (ou tenta lidar) com a situação com o maior alto astral?

Pois bem, essa história toda saiu da cabeça de Diablo Cody, nascida Brook Busey, uma stripper que não precisava ser stripper, mas foi ser stripper por que.... queria ser stripper!!

Bem, Juno fez um puta sucesso, Diablo ganhou um Oscar e..... escreveu um roteiro de filme de terror que tem como protagonista Megan Fox (se eu tiver que escrever sobre quem é MF é porque você que está lendo esse texto morou em Marte nos últimos, sei lá.... 3 anos, no mínimo).

No filme “Jennifer’s Body” que no Brasil receberá o fantástico, fabuloso, amendrotador nome de
'Garota infernal" (no comments...) a deliciosa Megan é uma cheerleader que faz parte de um sacrifício que sai errado e é possuída por um demônio. Depois disso a danada sai comendo (literalmente) todos os meninos da escola.

Olha, não sei vocês, mas tô louco (!) pra assistir o filme. Adoro esses trecos nada a ver, cheerleader demoníaca, muito sangue, comédia e Diablo Cody mandando bala nos diálogos pra lá de bem sacados.

Como amostra do que virá ao menos aos meus ouvidos, escutei a trilha sonora que tem Panic! At The Disco, Dashboard Confessional, The Sword, Black Kids, White Lies, entre outros e posso dizer o seguinte: Se seguir a trilha o filme será estiloso....

A escolha das bandas tem tudo pra agradar os moderninhos de plantão e isso não é ironia negativa não, é coisa boa, só coisa boa. Se bem que por mim tudo ia na linha do The Sword, mas tudo bem.

Agora é só esperar até 23 de Outubro, data prevista para o lançamento do filme aqui no Brasil.

Até lá, deguste o trailer

http://www.youtube.com/watch?v=VYQ19JM_M1g

E saiba mais sobre o filme

http://pt.wikipedia.org/wiki/Jennifer

Sounds of the Universe - Depeche Mode

Assim que ouvi “Wrong” primeiro single do Depeche Mode para seu novo disco, “Sounds of the Universe” fiquei interessadíssimo em ouvir o restante do trabalho dos caras.

Após passarem quatro anos sem gravarem nada, o trio formado por David Grahan, Martin Gore e Andrew Fletcher chega a décima segunda gravação de estúdio mostrando que ainda tem vigor, atitude, e principalmente, boa música.

Li que de certa forma esse é um trabalho em os caras voltaram as raízes, mas sinceramente, isso não faz diferença para mim que sempre gostei dos sons meio eletrônico/ industrial/ rock/ sei lá mais o quê.

A voz de David continua linda e as composições extremamente bem compostas, com destaque para a belíssima “Peace” em que David canta “- Basta olhar para mim/ Estou vivendo um ato de santidade/ Dar todas as virtudes que possuo/ Vou iluminar o mundo”.

O Depeche Mode volta para mostrar que rock pode ser feito com sintetizadores, lindas letras e muita atitude.

Assistam ao clipe de Wrong e Peace nos links abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=5bsXOcK9_Cw&feature=fvst (Wrong)

http://www.youtube.com/watch?v=Fo0lC_K7iyY (Peace)

Mudança de Lay-Out

E para comemorar o retorno, uma mudança radical no visual do blog.

Falou!

Preguiça, responsabilidade e conteúdo

Preguiça, falta de tempo, preguiça, chateação, preguiça, conexão de internet LIXO, preguiça. Pois é, esses fatores me afastaram do Blogarorock desde 13 de Julho último. Mas estou de volta, agora com conexão um pouco mais respeitável (espero que também estável), com muito mais FALTA de tempo e um pouco menos de preguiça.... Tá a preguiça continua igual.

É engraçado gerenciar um blog. Ele nada mais é do que um diário a respeito das suas impressões a respeito de qualquer assunto, ou deveria de ser assim, mas tornou-se uma ferramenta de marketing e de trabalho para milhares de pessoas ao redor do mundo.

No meu caso foi muito interessante, tinha, e ainda tenho zilhões de idéias, histórias e opiniões a respeito de tudo, mais especificamente rock e não tinha com quem conversar (amigos rockers vocês sabem quem são e não estão nessa lista) então, resolvi montar o Blogarorock para tentar expandir minhas idéias e quem sabe, render boas discussões.

Mas nem tudo sai como esperamos e juntando tudo num só caldeirão ficou claro que realmente não nasci pra escrever e sim para consertar máquinas, hehehe. Nada disso o que quero dizer é que levar o negócio a sério, postar diariamente, juntar idéias na tela do PC, coisa e tal não é nada fácil e devagarzinho vou aprendendo.

Não sou da geração internet, mas já estou bem familiarizado e posso garantir que um Blog, um Site, um grupo de discussão, são todos benéficos (quando usados com responsabilidade e para o bem) e atuam como catalisadores e formadores de opinião de muitos jovens que hoje não ligam mais a TV e sim seus notes para saberem as notícias, as novidades musicais e cinematográficas e tudo mais que o mundo oferece.

Não me comprometo, mas o esforço será feito para que o Blog ande, mesmo porque ele é um catalisador, uma válvula de escape para que eu fuja da realidade cinza do ia a dia e pule de cabeça na fantasia colorida do mundo da música.

Um abraço