Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 27 de abril de 2010

Soulfly - Omen


Uma das notícias mais pesadas e tristes que recebi do mundo da música foi a saída de Max Cavalera, do Speultura, em 1996. Para mim, fã de carteirinha não só da banda como de Max, aquilo parecia o fim. O fim da banda, o fim de Max, o fim de ver o Sepultura como a maior banda de metal do mundo.

Mas o tempo passou, o Sepultura seguiu seu caminho e Max também. E para a minha felicidade ambos seguiram bem, pelo menos musicalmente.

O Sepultura recrutou Derick Green e o americano adaptou-se perfeitamente à banda, lançando ótimos discos e segurando a onda nas piores dificuldades. Aprendi que o Sepultura está acima dos irmãos Cavalera.

Já Max montou o consagrado Soulfly. Uma banda de um homem só, que ao longo dos anos lançou sete discos e influenciou/ influencia milhares de jovens headbangers ao longo do globo.

Com um estilo peculiar de fazer metal, Max e o seu Soulfly nunca deixaram as raízes brasileiras de lado e esse lado “Roots” pode ser observado principalmente nos primeiros trabalhos da banda “Solfly” de 1998, “Primitive” de 2000 e “3” de “2002”. Depois disso Max foi pesando cada vez a mão nos trabalhos, como pode-se observar em “Prpphecy” de 2004 e principalmente “Dark Ages” de 2005, disco onde encontra-se uma fúria nunca vista em trabalhos do Soulfly (o meu preferido até aqui).

Em 2008 foi lançado “Conquer” que equilibra muito bem todos os estilos de metal apreciados por Max, pode-se ouvir sons de Doom, Grind, Punk, Hardcore, Melódico, tudo numa mesma cesta.

Agora, em 2010, Max e sua turma lançam “Omen”, disco que aponta o futuro do Metal. Apesar de ser um estilo quase imutável, é nítida a mudança de rumo que Max consegue com esse disco. Assim como estava fazendo com o Sepultura, Max faz com o Soulfly a transcendência do som, nada radiofônico, mas ao mesmo tempo obrigatório a todos aqueles que querem entender o futuro do som nesse século 21.

Max Cavalera sem querer muda os rumos do metal.

http://www.4shared.com/get/269721470/3ed5fe64/Soulfly_-_Omen.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Soulfly

www.soulfly.com/board_posts

http://blogdomaia.blog.uol.com.br/

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Luto - Peter Steele



Morreu um dos vocalistas e letristas mais originais do rock/ metal.

Peter Steele, 48 anos,  morreu de causas ainda não confirmadas na noite dessa quarta-feira. O artista lutava contra o vício de álcool e cocaína (sempre os mesmos ingredientes).

Em 1993 a banda ficou conhecida mundialmente ao lançar "Bloody Kisses", que emplacou hits macabros com "Christian Woman" e "Black Nº 1".

É sempre uma grande perda a morte de um talento por razões estúpidas (se forem confirmadas as drogas em questão).

Mais Type com Steele abaixo....

http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2010/04/15/vocalista-da-banda-type-negative-peter-steele-morre-aos-48-anos-916346600.asp

http://www.typeonegative.net/index.php

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bloody_Kisses

http://www.youtube.com/watch?v=3sMALbhJU6M

http://www.youtube.com/watch?v=vFwYJYl5GUQ&feature=related

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Them Crooked Vultures - Gunman

Definitivamente a minha banda preferida atualmente, veja como é poderosa a performance dos caras... Coeso, pesado, tecnicamente perfeito, isso é uma apresentação de uma banda de rock.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Rock Nacional, Paralamas, Herbert De Perto

Sempre tive um pouco de receio com o rock nacional. Bandas como Capital Inicial, Legião Urbana, Barão Vermelho, por exemplo, sempre me levantaram suspeitas sobre a “originalidade” do som vindo de tais bandas nacionais.

Dentro dessa sacola a que mais me intrigava e me deixava ressabiado era a banda de Herbert Vianna e CIA, os Paralamas do Sucesso. Primeiro porque o som dos Paralamas nunca foi totalmente rock, os caras flertavam com reggae, ska, elementos africanos e outros sons latino americanos e eu, no alto do meu altar rock n’ roll nunca poderia aceitar uma coisa dessas (santa ignorância!). Segundo, o líder da banda, Herbert Vianna, nunca me despertou interesse como músico ou artista em geral. Achava-o prepotente, metido a estrela e rockstar.

Mas fui crescendo e percebendo, graças a Deus, que eu estava errado, ao menos no julgamento precoce e sem conhecimento de causa com relação ao rock nacional.

Se quiséssemos um rock mais cru podíamos recorrer ao punk dos inocentes, se quiséssemos umas pitadas do Mod inglês, tínhamos o  Ira!, assim como o blues rock clássico do Barão Vermelho ou o trovadorismo oitentista da Legião Urbana.

Dentro dessa salada musical que se tornava o rock nacional dentro da minha cabeça, os Paralamas do Sucesso ganharam um espaço especial devido exatamente as características que antes eu repudiava. Os elementos característicos da nossa cultura que eram inseridos dentro das canções da banda. A originalidade que eu antes desconfiava que existia estava mais do que evidente nas letras, nas músicas e no contexto geral do trio Herbert, Bi e Barone.

Os Paralamas do Sucesso são um grande power trio, que contam com um excelente baterista, João Barone, um competente baixista, Bi Ribeiro, e com um mais do que genial guitarrista e compositor, Herbert Vianna.

O talento dos três fica mais do que evidente no DVD “Herbert De Perto”, que narra a história do frontman dos Paralamas desde a infância nômade (devido a profissão do pai), passando pela montagem da banda, a chegada ao sucesso, a tragédia do acidente que matou a esposa de Herbert e causou a sua paralisia e atinge o ápice mostrando a sua força mental e física para recuperar-se.

É incrível como, em nenhum  momento, os três deixaram as conseqüências da vida os separarem. A força criativa de Herbert nunca teria voltado à tona sem a ajuda desse “irmãos espirituais” como o próprio Herbert os chama.

Na época do acidente, Herbert Vianna já figurava na minha lista dos maiores guitarristas brasileiros e agora, depois de saber um pouco mais da sua vida e dificuldades, torna-se um dos maiores símbolos para mim de demonstração de determinação, talento e mais do que tudo, amor pela vida...

terça-feira, 6 de abril de 2010

Hevisaurus - Heavy Metal No Jardim De Infância

Já imaginou o seu filho de quatro, cinco anos pedindo um disco do Stratovarius? Acho que não né? Mas bem que você, metaleiro fanático, ficaria orgulhoso se o moleque chegasse com um pedido desse ao invés dos tradicionais discos infantis que muitas vezes acalmam a criançada mas deixam os pais com os ouvidos sangrando de tão chatos.

Não sei se esse foi o mote mas, integrantes do citado Stratovarius e do Sonata Arctica juntaram-se e formaram uma banda de metal para crianças! Isso mesmo, o Heavisaurus é um grupo de dinossauros com vestes cheias de  couro e rebite que tocam músicas tradicionais infantis da Finlândia com arranjos de metal melódico.

......

Fiquei pensando se a moda pega, já imaginou, Dr. Sin, Angra, Sepultura, juntando-se para cantar "Atirei o pau no gato?"

Vamos lá, curta o som dos dinos!







http://br.noticias.yahoo.com/s/05042010/48/entretenimento-heavy-metal-criancas.html

http://www.hevisaurus.com/




quinta-feira, 1 de abril de 2010

Diretores de videoclipe - Stéphane Sednaoui

Pense em cores fortes, muita luz, neon.

Junte tudo isso em um videoclipe.

Você tem a fórmula de Stéphane Sednaoui, fotógrafo francês que no início dos anos 90 decidiu embrenhar-se na seara videoclíptica e se deu muito bem.

Seus vídeos quase sempre multicoloridos, estilosos até o último segundo de duração, nem sempre se preocupam em seguir a linha da canção em que se baseiam e sim deixar uma marca, quase uma grife.

Recentemente Stéphane dirigiu “Control”, cinebiografia carinhosa do líder cult do Joy Division, Ian Curtis,

Mais Stéphane, abaixo

http://www.stephanesednaoui.com/


http://pt.wikipedia.org/wiki/Stéphane_Sednaoui

Give It Away – Red Hot Chilli Pepper (1991)



Sometimes Salvation _ The Black Crowes (1992)



Fever – Madonna (1993) *Sem audio



Queer – Garbage (1995)

http://www.youtube.com/watch?v=yo-ROkbvtxE&feature=related

Sleep To Dream – Fiona Apple (1997)

http://www.youtube.com/watch?v=nnic9omRV2M

Lotus – R.E.M. (1998)

http://www.youtube.com/watch?v=vu2jN3d2zzU

Around The World – Red Hot Chilli Peppers (1999)

http://www.youtube.com/watch?v=a9eNQZbjpJk&feature=related

Mixed Business – Beck (2000)



Dream On – Depeche Mode (2001)

http://www.youtube.com/watch?v=YDAXl05rJNQ

Diretores de videoclipe - Michel Gondry

Sabe aqueles sonhos insanos que temos, de acordar no meio da noite achando que estava em outra dimensão, pois bem, é essa a sensação que temos depois de ver um dos clipes de Michel Gondry, francês que se especializou em usar a ilusão, os truques básicos, sem uso de efeitos fantásticos, mas com resultados surpreendentes que nos levam a um lugar dentro das músicas que jamais visitaríamos se não tivéssemos a oportunidade de conhecer a música com o seu toque pessoal.

Dono de um estilo peculiar e particular dirigiu dezenas de videoclipes até lançar seu primeiro longa metragem “Brilho Eterno de Uma Mente Sem Memórias” da onde conseguiu extrair uma performance nunca antes vista do comediante Jim Carrey e como dito na primeira linha, usou de todas as suas nuances para extrair o máximo de ilusão dentro de um sonho.

Michel Gondry, mais um TOP DIRECTOR...

http://www.michelgondry.com/


http://pt.wikipedia.org/wiki/Michel_Gondry


http://en.wikipedia.org/wiki/Michel_Gondry


Human Behaviour – Bjork (1993)



Protection – Massive Attack (1995)



Like a Rolling Stone – The Rolling Stones (1995)



Around The World – Daft Punk (1997)



Everlong – Foo Fighters (1997)

http://www.youtube.com/watch?v=llLWtvpPz7A&feature=related

Star Guitar – The Chemical Brothers (2002)



Fell In Love whit a Girl – The White Stripes (2002)



Come Into My World – Kylie Minogue (2002)



Ride – The Vines (2004)

http://www.youtube.com/watch?v=QDGpO0truqQ&feature=related

Hard ‘Em Say – Kanye West (2005)

Diretores de videoclipe - Spike Jonze

A história do videoclipe pós MTV confunde-se com a de Spike Jonze.

Nascido Adam Spiegel, Spike adotou a alcunha enquanto trabalhava em uma loja durante seus estudos.

Antes de tornar-se diretor de videoclipes, fundou uma revista, foi videomaker de performances de skate e fotógrafo.

Fora isso também atuou como ator em produções hollywoodianas e atualmente dedica seu tempo a dirigir filmes fabulosos.

Esse multi artista talvez não tenha noção da responsabilidade e de como é referência para uma geração inteira de jovens que cresceram vendo suas peripécias videoclipticas. Às vezes nem curtia a banda ou a música mas ficava vidrado nos clipes com roteiros doidos e edição fabulosa.

Mais Spike Jonze?

Acesse




Abaixo selecionei dez vídeos da galeria de Mr. Jonze:

100% - Sonic Youth (1992)



Buddy Holly - Weezer (1994)


Sabotage - Beastie Boys (1994)


It's Oh So Quiet - Bjork (1995)


Crush Whit Eyeliner - R.E.M. (1995)


Drop - The Pharcyde (1996)


Da Funk - Daft Punk (1997)


Electrobank - The Chemical Brothers (1997)


Weapon Of Choise - Fatboy Slim (2000)


Y Control _ Yeah Yeah Yeahs (2004)


Obs: Alguns links não consegui fazer com que abrissem direto no blog, mas valem a pena a visualização......